Quando você realiza uma busca, não está pesquisando a internet em si, mas sim as páginas que o Google possui em seu índice. O motor de busca utiliza a ferramenta denominada GoogleBot para vasculhar páginas, indo de link em link, e indexando as páginas a seu índice..

Uma vez que você digita uma palavra-chave e realiza a busca, o sistema procura no índice quais páginas possuem a palavra-chave que você digitou, e as coloca em ordem de relevância de acordo com alguns fatores; na verdade vários fatores de ranqueamento — mais de 200, para ser mais preciso.

Se estiver curioso para conhecer 200 desses fatores, escrevemos um artigo que mostra cada um, e se ele influi positivamente ou negativamente no seu ranqueamento. Mas o importante é entender que alguns destes fatores não podem ser construídos da noite para o dia.

Você trocaria 30 mil seguidores desconhecidos por apenas mil conhecidos?

O seu perfil no Instagram não está crescendo como você gostaria? Nesse caso, pode até parecer que a compra de seguidores resolva o problema, afinal é rápida, barata e imediata.

No entanto, além de não ser um método eficiente para aumentar a exposição de uma marca, também pode denegrir sua reputação. Seja um pacote de perfis criados para isso ou de contas reais tomadas por hackers, esse caminho não vai trazer o que a sua empresa procura.

Estes perfis são criados com a única finalidade de seguir outras páginas e receber por isso e podem ser de indivíduos ou de grupos que controlam várias contas que seguem outras. Fica claro que são seguidores falsos.

E é desse modo que muita gente aumenta o número de seguidores do perfil do dia para a noite, sem qualquer estratégia ou geração de conteúdo relevante.

Porém, eles são apenas números e ainda não trazem nenhum resultado para o perfil da sua empresa, marca, projeto ou qualquer que seja a finalidade do seu Instagram.

 

Call-to-Action (Chamado a Ação) é um link ou um botão representado sempre por uma cor em destaque usados juntamente com um termo no imperativo como: “Acesse”, “Corra”. Essa estratégia tem como função atrair a atenção, interesse para uma futura ação do usuário dentro dos sites.

Para ser eficaz é preciso dar atenção a vários aspectos no design como por exemplo: tamanho, altura, composição das cores, a posição, as imagens e o texto.

O uso desse método de atração ajuda a direcionar o usuário para áreas de interesse dele, evitando assim a dispersão e assim o marketing do site será melhor aproveitado.

 

1 — Conheça a si mesmo

A primeira dica para abrir um negócio próprio é fazer um processo de autoconhecimento – saber qual é o seu perfil e como ele pode se relacionar com sua futura empresa.

2 — Defina sua principal contribuição ao negócio

Reconhecer qualidades e pontos a melhorar não apenas ajuda a decidir qual empreendimento tocar, mas também a definir em qual área você será mais estratégico para sua empresa – o que aumenta as chances de sucesso do negócio como um todo. Se você é experiente em desenvolvimento de produto, por exemplo, pode ajudar a desenvolver uma experiência do usuário incrível.

3 — Tenha uma proposta de negócio simples

Você consegue explicar sua ideia de negócio em poucas palavras? Se não consegue, provavelmente será difícil conquistar clientes – e talvez você tenha de refletir mais sobre qual problema sua empresa resolve e de qual forma.

 

Fonte: Exame

1. Quizzes

No Facebook, é muito comum as pessoas compartilharem resultados de testes (ou quizzes) que parecem brincadeiras inocentes como “qual personagem de Friends você é” ou “quem você foi na vida passada”. Pode ser tentador participar da brincadeira, mas é preciso ter cuidado. Pois, na maioria dos casos, esses testes têm como requisito permitir que os sites em que estão hospedados tenham acesso à sua conta do Facebook. Essa brecha dá a hackers acesso às informações pessoais, incluindo a de seus contatos.

2. Prêmios

Esse é um dos golpes mais antigos, mas que ainda faz muitas vítimas. O usuário recebe mensagens privadas que alegam que ele ganhou um grande prêmio, seja em dinheiro, eletrodomésticos ou mesmo casas. Até descontos são oferecidos, principalmente em datas específicas, como na Black Friday. A intenção é fazer a vítima clicar em links maliciosos que levam a um endereço fraudulento. A partir desse momento, tudo que é digitado no computador passa a ser coletado pelos hackers.

3. Catfishing

O golpe catfishing funciona na base da sedução. O criminoso cria um perfil falso com informações e fotos que parecem bem reais (e muitas vezes são roubadas de outros usuários) e vai atrás de pessoas que buscam um novo amor ou até amizades.

Com conversas persuasivas, o criminoso ganha a simpatia e confiança de suas vítimas, que podem se apaixonar e criar relacionamentos que só existem na Internet. Com isso, fica fácil para o criminoso pedir quantias de dinheiro emprestadas ou até bens, que nunca serão devolvidos.

4. Clone de perfis

O golpe de clonar perfis é muito comum no Facebook, mas também pode ser usado em outras redes sociais. O criminoso cria uma conta que é praticamente idêntica à original. Fotos e dados são os mesmos e se não for feita uma análise mais detalhada, é possível acreditar que o falso é o verdadeiro.

A intenção aqui é conseguir dinheiro, seja por meio de doações para alguma campanha fictícia ou algo mais simples, como pedir a ajuda a um amigo para pagar um dívida. Toda vez que receber alguma solicitação de ajuda financeira, vale a pena checar o perfil de quem está pedindo.

Fonte: tt

Alguns tipos de páginas podem impactar a futura felicidade, saúde, estabilidade financeira ou segurança dos usuários. Nós chamamos essas páginas de “Your Money or Your Life”, ou YMYL.

Em seguida, o próprio Google dá alguns exemplos de páginas consideradas como YMYL:

  • compras ou transações financeiras: páginas que permitem fazer compras, realizar pagamentos ou transferências (como páginas de e-commerce e bancos online);
  • informações financeiras: páginas com informações sobre investimentos, impostos, plano de aposentadoria, financiamentos, consórcios, seguros e outros serviços financeiros;
  • informações médicas: páginas com informações sobre saúde, medicamentos, saúde mental, nutrição, tratamentos médicos e temas relacionados;
  • informações legais: páginas com conselhos jurídicos e informações sobre assuntos como divórcio, guarda de menores, conquista de cidadania, etc.
  • páginas públicas ou que contém informações oficiais importantes para a cidadania: essa é bem ampla, e inclui páginas que falem sobre processos governamentais (de qualquer esfera), programas sociais, resposta a desastres, eventos internacionais e muitos outros.

Basicamente, é um recurso que permite trocar mensagens e fotos de forma privada com os seguidores. Está disponível tanto para os perfis comerciais, quanto para os pessoais. O Instagram Direct também registra as interações que são feitas pelos usuários com seus stories, abrindo mais uma oportunidade de diálogo.

Quando o assunto é engajamento, o poder de trocar as mensagens diretas com os seus seguidores é algo que não deve ser ignorado. O Instagram é uma das redes sociais mais usadas no Brasil, e alcançou, segundo dados de uma pesquisa feita pela SocialBakers, um potencial de engajamento de 400% a mais que o Facebook. Podemos, então, afirmar que é a rede que mais proporciona interação entre usuários.

Mais do que isso: de acordo com os mesmos dados, dos 800 milhões de usuários, 80% deles interage com perfis comerciais diariamente. Isso significa que a rede é um solo fértil para relacionamento com o público.

 

De forma geral, a gratificação nada mais é do que um pagamento feito por liberalidade do empregador, como meio de agradecer ou reconhecer os serviços prestados pelo empregado ou ainda como recompensá-lo pelo tempo de serviço prestado à empresa onde trabalha. Além disso, a gratificação/bonificação também pode ser ajustada, nos parâmetros da lei ou por meio de documento coletivo sindical, obrigando ao empregador que se efetive o pagamento.

Quanto aos valores das gratificações, a CLT – Consolidação das Leis do Trabalho – não estipula um limite específico a ser pago aos funcionários, nem estabelece como o empregador deve efetuar o pagamento. Sendo assim, cabe a empresa proceder da forma que achar melhor para a empresa, contanto que o lançamento em folha de pagamento seja obrigatório.

Em uma sala de entrevistas, uma vez uma candidata me perguntou: “o que devo fazer para alcançar o sucesso profissional?” Eu, que tenho mais de 10 anos de experiência com recrutamento e seleção, gostaria de poder responde-la com listas tipo “os 10 passos para o sucesso”, “10 dicas para chegar ao sucesso”.

Voltando à candidata, como resposta eu devolvi a pergunta: O que é sucesso para você?  Reconhecimento, conforto financeiro, bons benefícios, viagens internacionais ou alcançar um cargo no alto escalão da empresa podem ser a medida de felicidade e sucesso para algumas pessoas. Para outras, trabalhar feliz significa ter um bom equilíbrio entre vida profissional e pessoal, sentir-se diariamente desafiado, morar perto do trabalho ou até trabalhar menos. Não existe uma resposta única e cada pessoa precisa se conhecer o suficiente para saber o realmente a faz feliz.

Lembre-se: Fazer o que gosta é liberdade. Gostar do que faz é felicidade. E esse conjunto pode, sim, ser a chave para o sucesso!

Confira cinco mudanças significativas que já estão acontecendo no mercado de trabalho:

1 – Esteja conectado e use a tecnologia a favor

Entenda que os recursos tecnológicos podem ser aliados na sua busca profissional. Antigamente, o interessado em arrumar um emprego precisava levar um currículo em papel até a empresa, às vezes com uma pasta de portfólio, e aguardar a abertura de um processo seletivo. Hoje, é possível usar a conectividade a seu favor. Há plataformas que oferecem a oportunidade de montar um currículo e, ao mesmo tempo, cadastrá-lo em diferentes vagas.

2 – Qualifique-se constantemente

As melhores oportunidades serão destinados às pessoas com mais conhecimento e qualificação profissional. Não basta mais fazer uma graduação para garantir uma boa posição em sua carreira. Faça uma pós-graduação e cursos livres, estude mais, participe de workshops e informe-se bastante sobre sua área. Você sempre deve estar antenado com o que acontece em sua profissão.

3 – Inove nos processos

Profissionais que reagem mecanicamente e apenas fazem as tarefas que lhes são designadas são os que mais sofrem com a entrada das máquinas. Lembre-se: um robô consegue fazer mais processos automáticos, operacionais e repetidos do que qualquer ser humano. O que nos diferencia deles é justamente a nossa imaginação e criatividade, que nos permitem pensar em soluções inovadoras para os momentos de maior dificuldade. Trabalhe isso e seu perfil sempre será requisitado.

4 – Prepare-se para as demandas

A invasão da tecnologia no mercado de trabalho traz novas responsabilidades e demandas para as pessoas. É preciso saber operar todos os recursos disponíveis em nossa profissão, entender como eles podem ajudar e identificar novos serviços que você pode agregar em sua rotina. Quem trabalha passivamente vai, aos poucos, perder espaço em sua profissão.

5 – Não se prenda à carreira

Seu avô provavelmente trabalhou sempre no mesmo lugar e seu pai trocava de emprego apenas quando necessário. Fazer carreira dentro de uma única empresa era sinal de respeito e, principalmente, de seriedade da pessoa. Mas essa ideia passou. Você e seus filhos não podem mais se prender em um único lugar, ainda mais com toda a tecnologia disponível para aumentar a produtividade e encurtar distâncias. Viver como freelancer e trabalhar por projetos já é uma realidade comum em muitos países e, cedo ou tarde, chegará ao Brasil.

Henrique Calandra — Fundador do WallJobs – plataforma de integração 100% Digital que conta com mais de 1,5 milhões de membros.

Fonte: Administradores.com.br